Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

O papel da mídia na inclusão

O espaço mediastino no atual cenário sociológico e midiático se tornou o grande palanque no qual os grupos minoritários buscam visibilidade, bem como, sua legitimação no plano sócio e político. Por sua vez , a mídia representa estes grupos segundo os conceitos tradicionais ,cristalizando estereótipos enraizados no subconsciente coletivo. No âmbito da pessoa com deficiência a grande mídia mostra-se dicotomia reafirma essa constatação, nesse texto vamos começar a compreender como e por que esse processo ocorre . Considerando o fato de que os meios de comunicações tendem a ratificar o pensamento predominante no seu discurso , somos obrigados a estender nossa analise questão da Deficiência em seu aspecto social. como essa sociedade vê e representa o conceito de deficiência ? Como esse conceito é tratado Cultural e socialmente ? A raiz da compreensão das causas do preconceito, seja no enfoque mediastino seja em qualquer outra estância estar o conhecimento profundo de que significações o c…

A ética da inclusão

Algo que tem me assustado, nos últimos tempos, é como a inclusão , que para mim é uma da mais significativa conquistas ética da sociedade brasileira, vem sendo relativizada por parte do movimento das pessoas com deficiência, como se pudesse contra ou a favor ao inexorável direito desse individuo está presente nas escolas, ambiente de trabalho etc. juro, que na minha ingenuidade, eu não imaginava que a canalhice dos caciques dos movimento das ‘pessoinhas’ especiais , alimentada pela covardia de algumas família que não se permite perder o monopólio da existência de seus entes com necessidades especiais, nos fizesse regredir à idade media em pleno 2017. É importante lembra que quando defende-se,  por exemplo, que crianças com e sem necessidades especiais estudem na mesma escola  se está  defendendo  construção de uma sociedade em que, o fato de se apresentar uma condição de desfite motor, cognitivo , ou de qualquer outra ordem não signifique uma redução da humanidade dessa pessoa. Além d…

Um papo com um mestre

Ricardo Pittar é Biólogo, com pós-graduação em politica, Engajado nas grandes questões  políticas nas décadas de 90, teve uma participação intensa no maior movimento da sociedade civil contra a miséria, o fome zero, encabeçado pelo sociólogo heberte de Souza. A campanha contra a fome trouxe à tona a ferida aberta da miséria que envergonha qualquer brasileiro de bom censo, muito embora esse tipo de brasileiro está cada vez mais difícil. No campo da atividade politica participou dos restaurantes populares, um dos poucos programas de Estado Conheci o professor Ricardo Pittar em meados da década de 90 quando eu fui integrado ao ensino regular e me transferi para a escola municipal Presidente Medice, como a vida é uma piada de bom gosto, a unidade escolar que trazia o nome no maior ditador brasileiro se respirava democracia e liberdade, uma escola inspiradora e sempre viva. mais de 20 anos se passaram. E eu volto a ter o prazer de reencontrar com um professor inspirador que forja o carát…