Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Afeto de professores de classe hospitalar da prefeitura fazem do processo de aprendizagem fundamental na recuperação de crianças internas no Hemorio

Toda tarde tia Cláudia e tia Mônica tem uma tarefa especial, dar aula para uma turminha de guerreiros cheia de alegria e vontade de viver: são os alunos da Classe Hospitalar do Hemorio. Meninos e meninas que necessitam passar por longos períodos de tratamento e internação naquela unidade de saúde especializada no tratamento da leucemia. Atualmente existem nove classes hospitalares em toda rede municipal de ensino do Rio de Janeiro, projeto coordenado pelo Instituto Helena Antipof, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Educação. As classes hospitalares têm o objetivo de fazer com que os alunos não percam contato com o conteúdo pedagógico e principalmente exercem um papel decisivo no âmbito emocional dessas crianças, favorecendo até mesmo no tratamento e na recuperação delas. No caso do Hemorio, por se tratar de um centro de referencia no tratamento de doenças hematológicas, o grupo de alunos atendido é diversificado como explica Claudia Pires, uma das professoras da classe. - A g…

Acessibilidade no lar para pessoas com deficiência sera tema de curso nesse fim de semana

RIO= Acontece neste fim de semana um curso de capacitação para 40 terapeutas ocupacionais em construção de moves adaptado em PVC para tornar o ambiente domiciliar mais acessíveis para pessoas com deficiência e seus cuidadores. O evento é uma iniciativa da A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência com apoio da APPAI (Associação dos Professores Públicos Ativos e Inativos do Rio de Janeiro). O curso será ministrado pela professora Grace Gasparini que desenvolveu o Projeto Mobiliário Adaptado em PVC . Segundo ela, esses recursos de adaptações domiciliar têm auxiliado, tanto na evolução motora e funcional das pessoas com deficiência, quanto na rotina dos próprios pais ao lidar com seus filhos facilitando as atividades de vida diária como higiene e alimentação. Numa segunda etapa o programa pretende que sejam construídas oficinas para a confecção de móveis adaptados em alguns pontos da cidade e, multiplicar o aprendizado para outros profissionais da SMPD e familiares das pessoas at…

Auxilio do INSS é uma das causas de não empregabilidade de pessoas com deficiência

Muitas são as causas da ausência da pessoa com deficiência no mercado formal de trabalho. Desde a falta de infraestrutura acessível, passando pela inexistência dum sistema educacional que, realmente, capacite esses jovens para o mercado produtivo e, porque não dizer? O conformismo de muitos deficientes e de suas famílias que devido ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (LOAS) que, ao invés de ser uma politica compensatória, acaba sendo um desestimulo a inclusão dessa pessoa ao mercado de trabalho. Conforme me contou a jovens ‘S’ de 26 anos , que vive em Campo Grande – Mato Grosso . ‘S’ é cadeirante e conseguiu se empregar, mas acabou deixando o emprego por medo de trocar o ‘certo pelo duvidoso‘ – ‘Não poderia trabalhar registrada porque me disseram q perderia meu beneficio’ , confessa ela . Esse mesmo quadro foi encontrado pela professora Catarina Pereira que anos atrais coordenou um programa de capacitação e encaminhamento para o mercado de trabalho, no Instituto…