Pular para o conteúdo principal

O Menino que Falava com os pés

Apresentação 

Apresentamos a proposta de patrocínio direcionado à produção do espetáculo teatral “O Menino que Falava com os pés”. A peça de autoria do jornalista e escritor Fabio Fernandes, que, desde 1998, vem promovendo o debate sobre a inclusão sócio educacional de alunos com necessidades especiais. Direcionado para o público infanto-juvenil e educadores.  A trama do espetáculo traz a história de ‘LEO’, um jovem com deficiência física (paralisia cerebral) no seu primeiro dia de aula em uma escola do ensino regular, após ter passado boa parte de sua vida numa classe especial. Esse é o ponto de partida da peça que debate a inserção escolar de crianças e jovens com deficiência.
A peça aborda, com profundidade, um assunto de grande relevância social e cultural tendo em vista que segundo dados do mais recente censo, publicado pelo Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), 24 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência. Além disso, as pessoas com necessidades especiais compõem um dos segmentos sociais que mais sofre situações de preconceito
Tendo como base este cenário social, a produção desse espetáculo torna-se relevante, tendo em vista o intuito dele de ser um instrumento de conscientização em relação ao reconhecimento da cidadania das pessoas com deficiência.
 saliento a importância que a apresentação dessa peça tem para a formação educacional e ética  do publico jovem, provocando uma maior sensibilização , não no publico jovem , mas de pessoas de todas as idades, para a temática da diversidade, em especial das pessoas com deficiências Tendo como base este cenário social, a produção desse espetáculo torna-se relevante, tendo em vista o intuito dele de ser um instrumento de conscientização em relação ao reconhecimento da cidadania das pessoas com deficiência.
 saliento a importância que a apresentação dessa peça tem para a formação educacional e ética  do publico jovem, provocando uma maior sensibilização , não no publico jovem , mas de pessoas de todas as idades, para a temática da diversidade, em especial das pessoas com deficiências..

sinópse  

Léo, portador de Paralisia Cerebral, enfrenta os obstáculos de seu primeiro dia de aula em uma escola normal. O inspetor Guido através de duas alunas, Ana e Clara, é levado a adentrar em uma das salas da escola e se depara com o Léo “largado” em sua cadeira de roda, todo agitado, esse já é um dos seus primeiros obstáculos a enfrentar. Sem falar na dificuldade em se relacionar com seus colegas de turma e professores.
Até que Ana e Clara começa um relacionamento de amizade e carinho, então descobre como ele se comunica, através dos pés, riscando as letras no chão, com o pé direito. Ana lê o que ele escreve e ensina a professora Patrícia que também o defende de vários preconceitos. O maior obstáculo é o professor Cláudio que não o quer na turma de nenhum modo.

proposta 

A proposta de execução desse projeto visa a remontagem do espetáculo teatral,
que em 2017 comemorará 19 anos, realizando 30 (trinta) apresentações em espaço culturais, como Lonas Culturais, Arenas e algumas escolas da Zona Oeste e Norte do Município do Rio de janeiro.
Ao término de cada apresentação da peça acontecerá debate / palestra, com o autor da peça, o jornalista e dramaturgo Fabio Fernandes, sobre a temática da cidadania das pessoas com deficiência, na sociedade brasileira. Também participará desses debates o elenco da peça.
 A proposta também prever que  uma compilação das apresentações do espetáculo e dos debates que acontecerão posteriormente a encenação  será disponibilizadas, em vídeo, na internet, no canal da Associação Objetivo de Deficiente, co-produtora do espetáculo, o que aumenta o alcance e a visibilidade desse projeto.
As vantagens destinadas aos investidores serão detalhadas no item ‘contrapartida,’ porém, ressaltamos que as marcas das empresas patrocinadoras desse projeto estarão presentes em todo o material de promoção da peça, incluindo os vídeos que estarão disponíveis na rede.
O público a que se destina este espetáculo é basicamente formado crianças e adolescentes, com  e sem  necessidades especiais. Toda via, a temática tratada pela peça é uma questão que perpassa o interesse de diversos segmentos da sociedade. com ênfase no professorado que lança mão da dramatização para refleti sobre a temática da inserção escolar de alunos com  necessidades especiais ,Percebe-se que apesar de podemos identificar o público-alvo de nossa peça teatral, a temática abordada penetrar o interessante de vários públicos. 
Nessa fase nosso projeto tem previsão beneficiar um publico estimado de 15.000 (quinze mil) pessoas, entre alunos, com e sem com necessidades especiais, das redes municipal e estadual de ensino, bem como a comunidade escolar: professores pais de alunos e publico em geral , oferecendo principalmente às escolas além da apresentação um debate falando sobre o tema entre alunos, elenco, professores e produção complementando a informação e divulgação com abordagem inclusiva

publico-alvo

O público a que se destina este espetáculo é basicamente formado crianças e adolescentes, com  e sem  necessidades especiais. Toda via, a temática tratada pela peça é uma questão que perpassa o interesse de diversos segmentos da sociedade. com ênfase no professorado que lança mão da dramatização para refleti sobre a temática da inserção escolar de alunos com  necessidades especiais ,Percebe-se que apesar de podemos identificar o público-alvo de nossa peça teatral, a temática abordada penetrar o interessante de vários públicos. 
Nessa fase nosso projeto tem previsão beneficiar um publico estimado de 15.000 (quinze mil) pessoas, entre alunos, com e sem com necessidades especiais, das redes municipal e estadual de ensino, bem como a comunidade escolar: professores pais de alunos e publico em geral , oferecendo principalmente às escolas além da apresentação um debate falando sobre o tema entre alunos, elenco, professores e produção complementando a informação e divulgação com abordagem inclusiva,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hospital Barata Ribeiro tem setor de odontologia para pessoas com necedades especiais

Quem tem um familiar com deficiência mental ou neurológica grave sabe bem como é importante ter um atendimento médico que respeite as limitações inerentes à deficiência desse indivíduo. No campo da odontologia, na cidade do Rio de Janeiro, essas pessoas encontram no Hospital Barata Ribeiro, um setor especializado, com um serviço que existe há 20 anos. Por dia, são atendidos cerca de 25 pacientes com deficiências graves, como por exemplo paralisia cerebral, autismo, síndrome de Down, entre outras.
A doutora Andrea Vecchiate chefia uma equipe especializada no tratamento dentário em pacientes com problemas neurológicos e psiquiátricos, que conta também com uma técnica de saúde bucal e quatro dentistas, sendo dois no ambulatório e dois no centro cirúrgico. As consultas são realizadas no ambulatório, nos procedimentos mais rotineiros e simples, ou no centro cirúrgico, com o auxílio de sedação, em casos extremos. Ela explica que um dos fatores mais importantes é o atendimento preventivo rea…

A temática ética no contexto da educação inclusiva

‘Há como se conceber uma sociedade ética sem se preocupar com a inclusão’ ?A temática do debate da pessoa com deficiência na sociedade brasileira nem sempre é vista na sua complexidade: como algo que perpassar, ou deveria , passar pelo aprofundamento ético e moral da sociedade. Me parece importante se pensar a inclusão das pessoas com deficiência como um processo “humano”, cujo não deve se ater ao espaço da experiência sociológica da escola inclusiva, apesar da relevância desse espaço, como “provocador dessa inclusão” de modo a sermos capazes de, no futuro, conceber uma ética inclusiva o assunto da inclusão não deve ser visto como um processo que começa, nem tão pouco, que se conclua no ambiente da escola. O processo do sujeito com deficiência no contexto da educação e na sociedade brasileira deve pertencer a toda a sociedade que tem que tomar para si o dever ético de promover a inclusão de todos os indivíduos. Este compromisso com o processo de inserção das pessoas com deficiências …

3º Simpósio dá show de inclusão na Lona de Guadalupe

Aconteceu na manhã dessa sexta-feira(27) o 3º Simpósio de cultura Inclusiva na Lona Cultural Municipal Terra, em Guadalupe. O evento mostrou o talento das pessoas com deficiência, com apresentações da dupla Juripoca e neném , integrantes do projeto palaçadaria e a participação  do capoeirista  Tiao Gabriel. A programação contou com a fala do jornalista e autor  Fabio Fernandes que ressaltou a importância da expressão cultural no processo inclusão das pessoas com deficiência . ‘Criar ferramentas para que a pessoa com deficiência se expresse, no cenário cultural, é possibilitar que essa pessoa exista de forma efetiva no seu núcleo social’. Disse Fabio Fernandes.
O Simpósio de cultura Inclusiva é um evento da Associação Objetivo de Deficiente  que acontece desde 2013 e nessa terceira edição contamos com a parceria da Associação Balaio cultural e o projeto ‘Artes do suburbano‘ , vencedor do premio de ações locais, da secretaria municipal de cultura . a programação com uma bela roda de cap…