Pular para o conteúdo principal

Hospital Barata Ribeiro é referência no atendimento odontológico de pessoas com deficiência

Pessoas com necessidades especiais contam com um dos mais bem sucedidos programas de saúde bocal destinado a pessoas com deficiência de todo o país. O Hospital Municipal Barata Ribeiro, na Mangueira, é referência neste segmento no Rio. O setor de odontologia atende diariamente cerca de 20 pacientes com neuropatias crônicas, como a paralisia cerebral e síndrome de Down. A unidade da Secretaria Municipal de Saúde oferece esse serviço desde 1985. A odontologia para pacientes com deficiência já é uma especialidade reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia. Afinal, a saúde bucal é um direito de todos.
Segundo a chefe do setor, doutora Rowena Pessoa Ramos das Neves, essas pessoas dificilmente encontram em outra unidade hospitalar, seja pública ou privada, esse tipo de atendimento, o que faz do setor de odontologia do Barata Ribeiro uma referência neste segmento. A equipe prioriza a prevenção, tendo como foco o atendimento continuo, além de especifico, levando em conta as limitações de cada um dos pacientes.
- Desde a primeira consulta já é feito um trabalho de condicionamento para que os pacientes sintam confiança no tratamento. Em muitos casos, os pacientes têm dificuldades em permitir a intervenção do dentista, então, tentamos por mais duas consultas o tratamento normal no ambulatório. Se não e em casos extremos, programamos a cirurgia com anestesia geral - explicou Rowena.
 Outro fator importante para o tratamento dos pacientes com deficiência é o trabalho de prevenção feito pela equipe do setor. De acordo com a dentista Talita Torino, que integra a equipe do setor de odontologia do hospital, normalmente esses pacientes retornam periodicamente, a cada quatro ou seis meses, para consultas de revisão, em que o dentista realiza procedimentos de prevenção, como limpeza, aplicação de flúor e remoção de tártaros.
 - Muitas vezes os cuidadores familiares dessas pessoas têm dificuldade de fazer uma escovação correta, de modo que esse retorno periódico ao dentista é vital para a saúde bocal dos pacientes - comentou Talita.
 André Mendes, 45 anos, tem deficiência mental severa. O rapaz, que mora em Campo Grande, antes se tratava em uma unidade de saúde perto de sua casa.
 - Hoje foi a primeira vez que meu filho foi atendido aqui e gostei muito da atenção e paciência que a doutora teve com ele – disse Maria Antônia Mendes, mãe de André.

Aline Neme de Menezes, de 43 anos, é outra paciente do setor de odontologia para pacientes com deficiência do Hospital Barata Ribeiro. Ela tem microcefalia e frequenta regulamente o setor.

- Eu comecei a trazer a Aline aqui já há alguns anos. Eu soube que tinha uma equipe especializada em tratar dos dentes de jovens com deficiência e logo me interessei em fazer a ficha dela. Até hoje ela só precisou fazer uma vez com anestesia geral. Geralmente ela deixa a dentista mexer nos dentes dela - contou Ivone de Menezes, mãe de Aline, que comentou que já viu famílias que saem dos locais mais distantes do estado para realizar tratamento dentário de seus filhos naquela unidade:

- É incrível a dedicação que elas têm com nossos filhos. O carinho e a paciência com que elas atendem a eles é muito grande. Eu vejo família que vem de longe, de Santa Cruz, Paciência, e até de outros municípios.


O setor de odontologia para pacientes com deficiência funciona de segunda a sexta-feira, das 8h ao meio-dia. O Hospital Municipal Barata Ribeiro fica na Rua Visconde de Niterói nº 1.450, próximo à quadra da Mangueira. Mais informações pelos telefones: 2284-1867 e 2212-2016.

imagem
Ricardo Cassiano

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hospital Barata Ribeiro tem setor de odontologia para pessoas com necedades especiais

Quem tem um familiar com deficiência mental ou neurológica grave sabe bem como é importante ter um atendimento médico que respeite as limitações inerentes à deficiência desse indivíduo. No campo da odontologia, na cidade do Rio de Janeiro, essas pessoas encontram no Hospital Barata Ribeiro, um setor especializado, com um serviço que existe há 20 anos. Por dia, são atendidos cerca de 25 pacientes com deficiências graves, como por exemplo paralisia cerebral, autismo, síndrome de Down, entre outras.
A doutora Andrea Vecchiate chefia uma equipe especializada no tratamento dentário em pacientes com problemas neurológicos e psiquiátricos, que conta também com uma técnica de saúde bucal e quatro dentistas, sendo dois no ambulatório e dois no centro cirúrgico. As consultas são realizadas no ambulatório, nos procedimentos mais rotineiros e simples, ou no centro cirúrgico, com o auxílio de sedação, em casos extremos. Ela explica que um dos fatores mais importantes é o atendimento preventivo rea…

A temática ética no contexto da educação inclusiva

‘Há como se conceber uma sociedade ética sem se preocupar com a inclusão’ ?A temática do debate da pessoa com deficiência na sociedade brasileira nem sempre é vista na sua complexidade: como algo que perpassar, ou deveria , passar pelo aprofundamento ético e moral da sociedade. Me parece importante se pensar a inclusão das pessoas com deficiência como um processo “humano”, cujo não deve se ater ao espaço da experiência sociológica da escola inclusiva, apesar da relevância desse espaço, como “provocador dessa inclusão” de modo a sermos capazes de, no futuro, conceber uma ética inclusiva o assunto da inclusão não deve ser visto como um processo que começa, nem tão pouco, que se conclua no ambiente da escola. O processo do sujeito com deficiência no contexto da educação e na sociedade brasileira deve pertencer a toda a sociedade que tem que tomar para si o dever ético de promover a inclusão de todos os indivíduos. Este compromisso com o processo de inserção das pessoas com deficiências …

3º Simpósio dá show de inclusão na Lona de Guadalupe

Aconteceu na manhã dessa sexta-feira(27) o 3º Simpósio de cultura Inclusiva na Lona Cultural Municipal Terra, em Guadalupe. O evento mostrou o talento das pessoas com deficiência, com apresentações da dupla Juripoca e neném , integrantes do projeto palaçadaria e a participação  do capoeirista  Tiao Gabriel. A programação contou com a fala do jornalista e autor  Fabio Fernandes que ressaltou a importância da expressão cultural no processo inclusão das pessoas com deficiência . ‘Criar ferramentas para que a pessoa com deficiência se expresse, no cenário cultural, é possibilitar que essa pessoa exista de forma efetiva no seu núcleo social’. Disse Fabio Fernandes.
O Simpósio de cultura Inclusiva é um evento da Associação Objetivo de Deficiente  que acontece desde 2013 e nessa terceira edição contamos com a parceria da Associação Balaio cultural e o projeto ‘Artes do suburbano‘ , vencedor do premio de ações locais, da secretaria municipal de cultura . a programação com uma bela roda de cap…